Ouça agora

Estaduais

Compartilhe agora

Servidores da Secretaria do Meio Ambiente recebem treinamento com simulador internacional de Ações Climáticas

Postado em 11/06/2024 por Sistema Plug

img-page-categoria

Fonte imagem capa:Foto: Divulgação / Semae

A Secretaria de Estado do Meio Ambiente e da Economia Verde, em parceria com a Universidade Federal de Santa Catarina e o Instituto Tecnológico de Buenos Aires, promoveu nesta segunda-feira, 10, um workshop que simula a tomada de decisões no combate à crise climática. O objetivo do treinamento era demonstrar como decisões e ações atuais impactam no clima futuro e numa atividade conjunta, definir ações que ajudasse a diminuir em até 2ºC a temperatura global. Além de servidores da Semae, participaram também funcionários da Celesc, IMA, Epagri, CREA, SIE, SACT, Fapesc, SEF, Fiesc e SC Parcerias.

 “O evento realizado hoje foi de extrema importância, por ser uma capacitação dos servidores da Semae e de outras instituições do governo visando a questão da mudança climática. Essa ferramenta vai proporcionar tomadas de decisões mais assertivas e com melhor direcionamento”, ressaltou o Secretário do Meio Ambiente e Economia Verde, Guilherme Dallacosta.

A ferramenta usada durante o treinamento foi o simulador interativo En-Roads, desenvolvido pelo IMT – Instituto de Tecnologia de Massachusetts e pela ONG Climate Interactive. Ele foi apresentado pelo professor no Instituto Tecnológico de Buenos Aires Eduardo Fracassi. “Essa ferramenta tem 14 mil equações diferenciais e derivadas parciais, que são resolvidas por métodos numéricos do programa. Então políticos e empresários podem usá-la para decidir quais as ações climáticas prioritárias no momento, quais são mais eficientes, com uma visão global do esforço que se precisa pra resolver a crise climática”, comentou o professor.

Os participantes do treinamento foram divididos em grupos para ações e debates práticos relacionados à diminuição do efeito estufa, que resultassem na diminuição da temperatura do planeta. A plataforma apontou em gráficos como as ações como reflorestamento ou investimentos na indústria, serviço, transporte, podem influenciar neste impacto.

“A Semae teve a ideia de organizar este workshop para que olhemos para os setores de emissão de gases de efeito estufa no estado e possamos planejar ações integradas de mitigação. Através da modelagem conseguimos ver o impacto futuro das decisões atuais”, disse a bióloga da Semae e gestora do Programa Empresas Sustentáveis pelo estado, Ana Leticia Aquino. 

Certos mitos que são conhecidos como soluções climáticas foram desmistificados com a plataforma En-Roads. “Um dos objetivos desse treinamento é criar uma sensibilização e mudar a mentalidade das pessoas. Pensar que só energia renovável resolve o problema é um mito, por exemplo. Várias ações precisam ser feitas em parceria”, completou o professor da Engenharia de Produção e Sistemas da UFSC, Mauricio Uriona Maldonado, que também contribuiu com as atividades do evento.